Análise do teste de dose de entrada na pele realizados em serviços de radiodiagnóstico médico do estado de Minas Gerais

Fábio Sabará Dias, Paulo Marcio Campos Oliviera, Leandro de Abreu Vieira, Marco Aurélio de Sousa Lacerda

Resumo


Neste trabalho foi realizado o estudo retrospectivo acerca da análise do teste de dose de entrada na pele realizado por credenciados da VISA/MG em clínicas de radiodiagnóstico médico. Este estudo tem como objetivo avaliar a dose que os pacientes são submetidos nos exames radiográficos mais frequentemente realizados em instalações de Minas Gerais, respeitando os limites de otimização impostos por normas vigentes, em um período retrospectivo de 5 anos. Uma comparação com normas internacionais também foi realizada, com intuito de verificar se os limites impostos por órgãos internacionais provocaria um alto índice de não conformidade no teste. Do total de testes estudados, 75,1% estão em conformidade com os níveis de referência em radiodiagnóstico (NRD) estabelecidos pela Portaria 453. Para o exame de coluna lombar e crânio, os valores médios de DEP foram cerca de duas vezes menores que os NRDs recomendados. Para o exame de tórax, foi possível verificar que as médias das doses de entrada na pele são bem similares em todo o período estudado, tendo como média geral um valor de 0,25 mGy. Ao comparar o exame de tórax com os limites impostos por normas internacionais, obteve-se uma queda de 14% de conformidade. O alto índice de conformidade sugere que as técnicas radiográficas selecionadas foram adequadas para obtenção de doses menores que os níveis de referência estabelecidos.

Palavras-chave: proteção radiológica; controle de Qualidade; radiodiagnóstico Médico

Texto completo:

PDF

Referências


UNSCEAR. Sources and effects of ionization radiation. v. 1 – Sources, Report to General Assembly, with Scientific Annexes, New York, 2008.

ICRP - International Commission on Radiological Protection. The 2017 Diagnostic reference levels in medical imaging. ICRP Publication 135. Ann. ICRP 46(1). ICRP 2017.

International Atomic Energy Agency. Radiation Protection and Safety of Radiation Sources: International Basic Safety Standards (Interim Edition), General Safety Requirements Part 3 No. GSR Part 3 (Interim). Vienna: IAEA; (2014).

ICRP - International Commission on Radiological Protection. 1990 Recommendations of the International Commission on Radiological Protection: adopted by the Commission in November 1990. Oxford, 1991. 201p. (ICRP 60)

ICRP - International Commission on Radiological Protection. Radiological protection and safety in medicine. STOCKHOLM: ICRP, 1996. 50 p. (ICRP-73).

BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE - ANVISA. Portaria 453 do Ministério da Saúde: Diretrizes de Proteção Radiológica em Radiodiagnóstico Médico e Odontológico. Diário Oficial da União de 02 de junho de 1998.

BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE - ANVISA. Radiodiagnóstico Médico: Desempenho de Equipamentos e Segurança / Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Brasília, 2005.

MINAS GERAIS. SECRETARIA DE SAÚDE DO ESTADO DE MINAS GERAIS. Resolução SES nº 5177, 2016. Dispõe sobre o cadastramento de consultor externo no Estado de Minas Gerais, de empresa e/ou profissional para o exercício dos serviços de avaliação de equipamentos de raios X e de ambientes na área de proteção radiológica em radiologia médica e odontológica. Disponível em: http://www.saude.mg.gov.br/images/documentos/resolu%C3%A7%C3%A3o_5177.pdf. Acesso em: 01/12/2017.

EUR. European Commission. European guidelines on quality criteria for diagnostic radiographic images. Office for Official Publications of the European Communities, Luxembourg, EUR16260EN, 1996a.




DOI: http://dx.doi.org/10.29384/rbfm.2018.v12.n1.p36-41

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista Brasileira de Física Médica

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia