Análise da movimentação tumoral na direção Superior – Inferior em casos de SBRT de pulmão utilizando tomografia 4D

Carolina Mota Novais da Cunha, Ana Claudia de Chiara, Laura Natal Rodrigues

Resumo


A tomografia 4D (4DCT) tem grande utilidade em tratamentos nos quais existem uma movimentação da área a ser tratada, como cânceres localizados no pulmão. A aquisição 4D auxilia no delineamento, pois define o caminho percorrido pelo tumor, e, consequentemente, auxilia o planejamento. As movimentações do tumor possuem impacto direto no volume delineado e no volume de pulmão a ser irradiado, dependendo do volume do Internal Target Volume (ITV) e, a depender do volume de tratamento, o planejamento deve ser modificado para atender os constraints dos órgãos em risco (OAR).  O presente trabalho visa analisar o impacto da movimentação tumoral na direção Superior-Inferior (S-I) em casos de SBRT de pulmão através de um processo end-to-end dosimétrico, avaliando desde a aquisição das imagens tomográficas, delineamento e planejamento até a medida da dose recebida pelo volume de tratamento. Os planejamentos seguiram as recomendações do RTOG 0813, utilizando o fracionamento 4x12Gy. O volume do ITV delineado mostrou relação direta e linear com a amplitude de movimento (R² = 0,9925), enquanto o volume de pulmão irradiado mostrou relação polinomial de segundo grau (R² = 0,9987). Os valores de ITV encontrados se mostraram superestimados em relação ao volume esperado devido à técnica de aquisição de imagem (pitch lento igual a 0,07). A análise dosimétrica mostrou boa concordância entre os valores de dose medidos e aqueles fornecidos pelo sistema de planejamento, sendo a menor diferença de 0,42% para a amplitude de 20 mm e a maior diferença de 3,16% para a amplitude de 0 mm .


Palavras-chave


SBRT; Pulmão; Radioterapia; 4DCT; end-to-end; ITV

Texto completo:

PDF

Referências


Tomohiro Ono, Yuki Miyabe, Kunio Takahashi, Mami Akimoto, Nobutaka Mukumoto, Yoshitomo Ishihara, Mitsuhiro Nakamura, Takashi Mizowaki, Masahiro Hiraoka, Geometric and dosimetric accuracy of dynamic tumor tracking during volumetric-modulated arc therapy using a gimbal mounted linac, Radiotherapy and Oncology, 2017.

Tanyi JA, Fuss M, Varchena V, Lancaster JL, Salter BJ. Phantom investigation of 3D motion-dependent volume aliasing during CT simulation for radiation therapy planning. Radiat Oncol. 2007.

CIRS Motion Control User Manual

Liu, Jin et al. “Use of Combined Maximum and Minimum Intensity Projections to Determine Internal Target Volume in 4-Dimensional CT Scans for Hepatic Malignancies.” Radiation Oncology (London, England) 7 (2012): 11. PMC. Web. 12 Jan. 2018.

Radiation Therapy Oncology Group [Internet]. Philadelphia: RTOG. 2015 Jun 8 - RTOG 0813 Protocol Information, Seamless Phase I/II Study of Stereotactic Lung Radiotherapy (SBRT) for Early Stage, Centrally Located, Non-Small Cell Lung Cancer (NSCLC) in Medically Inoperable Patients; 2013

A. Brahme (1984) Dosimetric Precision Requirements in Radiation Therapy, Acta Radiologica: Oncology, 23:5, 379-391

ABREU, Carlos Eduardo Cintra Vita et al . Radioterapia estereotáxica extracraniana em câncer de pulmão: atualização. J. bras. pneumol., São Paulo, v. 41, n. 4, p. 376-387, Aug. 2015.

Persson GF, Nygaard DE, Brink C, Jahn JW, Munck af Rosenschöld P, Specht L, Korreman SS. Deviations in delineated GTV caused by artefacts in 4DCT. Radiother Oncol. 2010 Jul;96(1):61-6

Palmer AL, Nash D, Kearton JR, Jafari SM, Muscat S. A multicentre 'end to end' dosimetry audit of motion management (4DCT-defined motion envelope) in radiotherapy. Radiother Oncol. 2017

Martin Kupper, Wolfgang Sprengel, Peter Winkler, Brigitte Zurl, A method for improved 4D-computed tomography data acquisition, In Zeitschrift für Medizinische Physik, Volume 27, Issue 1, 2017, Pages 31-38.




DOI: http://dx.doi.org/10.29384/rbfm.2018.v12.n1.p10-15

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista Brasileira de Física Médica

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia