Proposta de Atualização da Versão Brasileira do Protocolo para Controle de Qualidade em Radioterapia TECDOC 1151

  • João Vitor Máximo de Souza Carvalho Universidade Federal de Sergipe http://orcid.org/0000-0003-3325-9345
  • Luiz Eduardo Andrade Macedo CHAMA - Centro Hospitalar Manoel André
  • Divanizia Nascimento Souza Universidade Federal de Sergipe
  • Rogério Matias Vidal da Silva ICC - Instituto do Câncer do Ceará
  • Laélia Campos Universidade Federal de Sergipe
Palavras-chave: Física Médica, Controle de Qualidade, Radioterapia, Garantia da Qualidade

Resumo

O TECDOC 1151, que aborda sobre aspectos físicos da garantia da qualidade em radioterapia, foi apresentado no ano 2000 pela Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) em decorrência do incremento de unidades de radioterapia na América Latina. Trata-se de um documento com recomendações mínimas para garantia da qualidade em serviços de radioterapia que possuam recursos técnicos e humanos típicos para esta região. O Ministério da Saúde do Brasil produziu uma tradução/adaptação desse documento, destinando-a de forma gratuita a instituições e profissionais. A redação do TECDOC 1151 foi, na época de sua elaboração, fortemente inspirada em publicações da Associação Americana de Físicos em Medicina (AAPM). O texto foi formatado como manual para profissionais com alguma experiência, sendo um documento pouco amigável para estudantes e profissionais iniciantes. Após duas décadas de evolução tecnológica, alterações na legislação e modificações das características do parque tecnológico nacional, novas recomendações surgiram, mas nenhum outro documento foi oficialmente apresentado em substituição ao TECDOC 1151 no Brasil. Atualizações em procedimentos de controle de qualidade em radioterapia são importantes para acompanhar a evolução tecnológica e, ao otimizar processos e o uso de equipamentos, promovem um adequado tratamento aos pacientes. Por esse motivo, apesar de ser o documento em língua portuguesa mais difundido desta área de conhecimento e de sua histórica importância na orientação de profissionais, uma observação crítica ao documento sugere a necessidade de uma adaptação ao momento atual. Este trabalho tem como objetivo propor uma adequação do TECDOC 1151 para controle de qualidade das tecnologias empregadas em serviços atuais. Buscou-se preservar ao máximo a finalidade do texto original, com apoio das recomendações presentes nas publicações TG-119, TG-142, TRS-430, TRS-398, IAEA HUMAN HEALTH SERIES No. 31, RDC-20 ANVISA, CNEN 6.10 e demais normas inexistentes à época da publicação do documento, como referências para as modificações.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

João Vitor Máximo de Souza Carvalho, Universidade Federal de Sergipe
Departamento de Física
Luiz Eduardo Andrade Macedo, CHAMA - Centro Hospitalar Manoel André
Setor de Radioterapia
Divanizia Nascimento Souza, Universidade Federal de Sergipe
Departamento de Física
Rogério Matias Vidal da Silva, ICC - Instituto do Câncer do Ceará
Setor de Radioterapia
Laélia Campos, Universidade Federal de Sergipe
Departamento de Física

Referências

INCA, MINISTÉRIO DA SAÚDE. TECDOC - 1151: aspectos físicos da garantia da qualidade em radioterapia. Instituto Nacional de Câncer, INCA. Rio de Janeiro. 2000.

American Association of Physicists in Medicine. IMRT commissioning: Multiple institution planning and dosimetry comparisons, a report from AAPM Task Group 119. [S.l.]. 2009.

American Association of Physicists in Medicine. Task Group 142 report: Quality assurance of medical accelerators. [S.l.]. 2009.

IAEA. Technical Reports Series No. 430: Commissioning and Quality Assurance of Computerized Planning Systems for Radiation Treatment of Cancer. IAEA. Vienna. 2004.

AEA. Technical Reports Series No. 398: Absorbed dose determination in external beam radiotherapy. Vienna. 2000.

IAEA. Human Health Series No. 31. Accuracy Requirements and Uncertainties in Radiotherapy. IAEA. Vienna, Austria. 2016.

ANVISA - Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução da Diretoria Colegiada – RDC Nº 20, Regulamento Técnico para o funcionamento de serviços de radioterapia. [S.l.]. 2006.

CNEN – Comissão Nacional de Energia Nuclear Norma, Norma CNEN NN 6.10, Requisitos de segurança e proteção radiológica para serviços de radioterapia, resolução CNEN 214/17 junho de 2017.

Podgorsak E. B., IAEA. Radiation Oncology Physics: A Handbook for Teachers and Students. Vienna: [s.n.], 2005.

Delaney G et al. The role of radiotherapy in cancer treatment: Estimating optimal utilization from a review of evidence-based clinical guidelines. Cancer, 2005.

Fagundes, J. S., Lima, C. M. A.; Silva, F. C. A., Lições aprendidas com acidentes radiológicos nas exposições médicas em radioterapia. Brazilian Journal of Radiation Sciences, 2018.

FARIA, I. M. S. P. Controlo de Qualidade em Radioterapia. Instituto Politécnico do Porto. [S.l.]. 2012.

Souza, R. S. Desenvolvimento de um Sistema para Controle de Qualidade em Radioterapia de Intensidade Modulada (IMRT). Dissertação (Pós-Graduação em Engenharia Nuclear). COPPE, Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro. 2012.

IAEA. Regional Co–Operation Agreement for the Promotion of Nuclear Science and Technology in Latin America and the Caribbean. Contribution to Sustainable Development 1984–2009. ARCAL Agreement XXV Anniversary. IAEA. Vienna, Austria. 2010.

Publicado
2020-07-15
Como Citar
Máximo de Souza Carvalho, J. V., Andrade Macedo, L. E., Nascimento Souza, D., Vidal da Silva, R. M., & Campos, L. (2020). Proposta de Atualização da Versão Brasileira do Protocolo para Controle de Qualidade em Radioterapia TECDOC 1151. Revista Brasileira De Física Médica, 14, 526. https://doi.org/10.29384/rbfm.2020.v14.19849001526
Seção
Artigo Original